Renaulution, plano de reestruturação da marca apresentado nesta quarta (14/01), irá focar em produção e segmentos mais lucrativos. Fonte incontestável de rendimentos para o grupo Dacia ocupa obviamente um lugar especial no plano de Renaulution.

Mas no que diz respeito à empresa romena, o impulso para se tornar mais sofisticado, de acordo com De Meo, será o Duster 2, produzido há 4 anos na Europa (dois no Brasil) confirmado e sua chegada ao nosso mercado prevista a partir do primeiro trimestre de 2022. A nova geração do SUV já está com seu desenvolvimento adiantado para se juntar a nova geração do Sandero compartilhando a moderna plataforma CMF-B, a mesma usada no novo Clio (já adiantada por dirigindoautos). Clique no link e confira https://www.dirigindoautos.com.br/a-romena-dacia-libera-as-primeiras-imagens-dos-novos-sandero/).

Por outro lado, através de um protótipo chamado Bigster, a Dacia deu uma boa ideia do futuro SUV de 5 e 7 lugares, este, também construído na plataforma CMF-B, terá 4,60 metros de comprimento, bem ao estilo do Jeep Compass. Durante a apresentação, o presidente do Grupo Renault, Luca De Meo falou com muito orgulho sobre o Dacia Bigster: “Este carro também será usado na base internacional como uma versão Renault. Isso é muito importante dizer, pois irá suportar o reposicionamento para cima da Renault. Pense em América Latina e em outros mercados emergentes”.

Com a declaração, esse conceito ocupará um lugar na região como um SUV acima do Duster. O Bigster foi pensado para utilizar a tecnologia híbrida E-Tech. Com a nova reestruturação entre as marcas aqui na região, entre Renault e Nissan, divulgado em maio de 2020, a nova estratégia permite uma grande sinergia entre as marcas, adiantando que daqui para frente o destino de produção no Brasil as duas marcas compartilharão as fábricas, novos carros, motores e transmissão.

Pela nova estrutura, Resende (RJ) se ocupará com modelos SUVs e São José dos Pinhais (PR) ficará responsável pelos modelos hatchs e hatchbacks com 7 modelos previstos para os próximos anos — dois da Nissan e cinco da Renault, todos compartilhando a nova e moderna plataforma CMF-B. Com isso é de se imaginar que o futuro SUV da Dacia, o protótipo Bigster poderá ser produzido na planta fluminense da Nissan para ser forte concorrente do futuro Jeep de sete lugares e do irmão Compass.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Close