Depois de “bater na porta” nas últimas três corridas para igualar o recorde de 91 vitórias de Michael Schumacher na F1, conquistado em 2006 no GP da China, o destino quis que a marca ocorresse no Grande Prêmio da Alemanha, realizado neste domingo (11/10) no circuito de Nurburgring, onde o piloto alemão cresceu. Para muitos, esse recorde, que já durava 15 anos, era considerado inalcançável. O destino, entretanto, colocou um pequeno garoto inglês e muito talentoso na categoria pela McLaren no caminho do alemão, um ano depois deste estabelecer o recorde com sua 91ª vitória da carreira.

Uma década e meia e 261 GPs depois, Hamilton igualou o recorde de vitórias na “Casa” dos Schumachers, já que Michael nasceu em Hürth, vilarejo próximo a Nurbur onde está localizado o autódromo de Nurburgring, palco da histórica vitória de Hamilton. Mick Schumacher, filho de Michael, presenteou Hamilton com um dos capacetes que seu pai correu pela Ferrari na F1 por igualar o número de vitórias.

Durante o final de semana em Nurburg a “vida” esportiva do inglês não foi nada fácil, afinal na sexta-feira (09/10) os carros sequer entraram na pista em função da chuva e neblina muito baixa, que impediu a subida dos helicópteros. Pelo regulamento, sem as aeronaves poderem subir os bólidos não podem entrar na pista.

No sábado (10/10), com apenas um treino livre, Hamilton, sem todas a s informações foi para a classificação as “cegas”. Até os últimos segundos Lewis tinha o melhor tempo, mas faltando poucos segundos para terminar o Q3, última parte do classificatório, Valtteri Bottas cravou 1min25seg269, volta mais rápida do circuito, arrancando do Hamilton uma pole certeira.

Decepcionado, Hamilton sem se desculpar disse: “Vou estudar e ver como posso melhorar para a corrida”. E foi o que fez, na largada tentou dar o bote em Bottas, que decidido não deu chances para o companheiro da Mercedes de nº 44 mantendo a ponta até a volta 13, quando errou na curva 4 destruindo os pneus. Lewis Hamilton assumiu a ponta para não perder mais até a bandeirada final para conquistar sua marca histórica — 91 vitórias.

Com essa vitória abriu 69 pontos de vantagem na classificação do campeonato sobre o companheiro Bottas, que abandonou com problemas elétricos em sua Mercedes 77, e caminha mais tranquilo para a conquista do sétimo título na carreira. Em segundo na corrida, sem ameaçar o líder Hamilton, chegou o também talentoso, o holandês Max Verstappen da RBR. Outo piloto talentoso, o australiano Daniel Ricciardo, que em 2021 se transferirá para a inglesa McLaren, em Nurburgring também deixou sua marca histórica na Renault, sendo o primeiro a levar o time francês ao pódio depois de seu retorno à categoria em 2016.

Esse pódio do Ricciardo vai deixar uma marca no diretor técnico, o francês Cyril Abiteboul, que apostou com o piloto que se ele antes do final do campeonato conquistasse um pódio faria uma tatuagem no corpo com desenho e escolha do australiano. Mas a parte do corpo Cyril escolheria. Apostas a parte, Ricciardo deixará sua marca no time — alegria, tranquilidade, habilidade e competência técnica.

E quem quebrou a marca de largadas na categoria foi o finlandês da Alfa Romeo Kimi Raikkonen, ex-campeão mundial pela Ferrari em 2007. Raikkonen agora tem a marca de 323 largadas, uma a mais que o antigo recordista, o brasileiro Rubens Barrichello, que agora superado cai no esquecimento dos recordes da categoria.

Duas curiosidades nesta prova: o piloto alemão Nico Hulkenberg foi chamado mais uma vez as pressas pela equipe Racing Point para substituir o canadense Lance Stroll e não decepcionou. Marcou mais três pontos com o oitavo lugar na prova para o time canadense . Na classificação ele ocupa o 15° lugar com 10 pontos.

A segunda é que no sábado (10/10) Nico Rosberg, que não tem muito apreço por Lewis Hamilton pelas desavenças quando foram companheiros no time Mercedes, disse a Valtteri Bottas: “essa é a hora de você marcar pontos porque Hamilton pressionado erra muito”. O tiro saiu pela culatra. Bottas estava na liderança da prova pressionado por Hamilton e acabou errando na curva 4 e estragando os pneus.

A próxima corrida acontece daqui a duas semanas em Portimão, Algarve, na volta da categoria a Portugal, no dia 25 de outubro. Abaixo a classificação completa.

CLASSIFICAÇÃO DA CORRIDA

  1. Lewis Hamilton, Mercedes/Mercedes
  2. Max Verstappen, RBR/Honda
  3. Daniel Ricciardo, Renault/Renault
  4. Sergio Perez, Racing Point/Mercedes
  5. Carlos Sainz Jr., McLaren/Renault
  6. Pierre Gasly, AlphaTauri/Honda
  7. Charles Leclerc, Ferrari/Ferrari
  8. Nico Hulkenberg, Racing Point/Mercedes
  9. Romain Grosjean, Haas/Ferrari
  10. Antonio Giovinazzi, Alfa Romeo/Ferrari
  11. Sebastian Vettel, Ferrari/Ferrari
  12. Kimi Raikkonen, Alfa Romeo/Ferrari
  13. Kevin Magnussen, Haas/Ferrari
  14. Nicholas Latifi, Williams/Mercedes
  15. Daniil Kvyat, AlphaTauri/Honda
  16. Lando Norris, McLaren/Renault*
  17. Alexander Albon, RBR/Honda*
  18. Esteban Ocon, Renault/Renault*
  19. Valtteri Bottas, Mercedes/Mercedes*
  20. George Russell, Williams/Mercedes*

Os que estão em Asteriscos não completaram a prova.

CLASSIFICAÇÃO DE PILOTOS NO CAMPEONATO

  1. Lewis Hamilton, Mercedes, 230 pontos
  2. Valtteri Bottas, Mercedes, 161 pontos
  3. Max Verstappen, RBR, 147 pontos
  4. Daniel Ricciardo, Renault, 78 pontos
  5. Sergio Perez, Racing Point, 68 pontos
  6. Lando Norris, McLaren, 65 pontos
  7. Alexander Albon, RBR, 64 pontos
  8. Charles Leclerc, Ferrari, 63 pontos
  9. Lance Stroll, Racing Point, 57 pontos
  10. Pierre Gasly, AlphaTauri, 53 pontos
  11. Carlos Sainz Jr., McLaren, 51 pontos
  12. Esteban Ocon, Renault, 36 pontos
  13. Sebastian Vettel, Ferrari, 17 pontos
  14. Daniil Kvyat, AlphaTauri, 14 pontos
  15. Nico Hulkenberg, Racing Point, 10 pontos*
  16. Antonio Giovinazzi, Alfa Romeo, 3 pontos
  17. Kimi Raikkonen, Alfa Romeo, 2 pontos
  18. Romain Grosjean, Haas, 2 pontos
  19. Kevin Magnussen, Haas, 1 ponto
  20. Nicholas Latifi, Williams, 0 ponto
  21. George Russell, Williams, 0 ponto
  • Nesta etapa em Nurburgring, Nico Hulkenberg substituiu o canadense Lance Stroll

CLASSIFICAÇÃO DE CONSTRUTORES NO CAMPEONATO

  1. Mercedes, 391 pontos
  2. RBR, 211 pontos
  3. Racing Point, 120 pontos
  4. McLaren, 116 pontos
  5. Renault, 114 pontos
  6. Ferrari, 80 pontos
  7. AlphaTauri, 67 pontos
  8. Alfa Romeo, 5 pontos
  9. Haas, 3 pontos
  10. Williams, 0 ponto

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Close