Parodiando o filme Kramer Vs Kramer, estrelado pelo astro de Hollywood Dustin Hoffman, o britânico Lewis Hamilton não tem concorrentes nesta temporada de 2020 da Fórmula 1. Seus principais adversários este ano são os recordes do alemão Michael Schumacher e ele próprio. Na pista, Lewis parece não ter concorrentes, mesmo o companheiro Bottas (foto abaixo) que pilota um equipamento Mercedes igual ao seu e que venceu o GP da Rússia neste domingo (27/09). Mas o inglês parece lutar contra ele próprio, contra sua ansiedade pela possibilidade de entrar para a história, igualando as 91 vitórias do recorde de Michael Schumacher, e com isso cometeu erros vigentes no regulamento da categoria.

Na estreia da temporada deste ano no GP da Áustria, Hamilton foi punido com três posições na largada por não ter diminuído a pressão do acelerador em uma bandeira amarela pela rodada na pista do companheiro Bottas no treino classificatório. Isso lhe rendeu muitas dificuldades na corrida, terminando a prova fora do pódio, em quarto lugar. Já na prova da Italia, em Monza, Hamilton liderava com tranquilidade, até que o safety car entrou na pista e próximo dos boxes, aproveitou e entrou no pit para troca de pneus. Até ai tudo bem, pois Hamilton continuava na dianteira. Mas o que o inglês não contava é que os boxes ainda estavam fechados para a entrada dos pilotos, e recebeu mais uma punição, o que resultou em mais uma vez fora do pódio, em sétimo lugar.

Neste domingo (27/09) no GP da Rússia, na saída dos boxes para alinhar no grid, Hamilton fez dois treinos de largada. Com isso, ele que liderava a prova foi punido com o acréscimo de 10 segundos ao tempo final. Punição paga no 1º pit stop antecipado e Hamilton reclamou muito: “Isso é estupido”. E o Hamilton tem razão, pois na largada o monegasco Charles Leclerc atingiu por traz a Racing Point do canadense Lance Stroll que estampou seu carro no muro provocando a entrada do safety car e nada aconteceu com Leclerc.

Na volta 17, tentando uma estratégia diferente, a Mercedes antecipou a parada de Hamilton e trocou os pneus macios pelos duros, com a finalidade de pagar as punições e ficar com esse pneu até o final da prova. Manobra questionada pelo líder do campeonato, já que 20 voltas depois ainda estava em terceiro, atrás do companheiro na Mercedes, Valtteri Bottas, até então líder da corrida e do holandês Max Verstappen da RBR. E o pior para o Hamilton é que a super ansiedade ainda vai continuar, já que não foi desta vez que igualou o recorde de vitórias, 91 do Schumacher contra as suas 90.

Com o resultado final da Rússia, com Bottas vencendo a segunda do ano e com o ponto extra pela volta mais rápida da corrida, Hamilton viu os 55 pontos que tinha de vantagem na tabela do campeonato cair 11 pontos, ou seja a diferença agora está em 44. Mesmo com o resultado adverso provocado por uma punição duvidosa, Hamilton agradeceu: “foi bom”. Já o companheiro Bottas pelo rádio, numa mistura de alegria e raiva criticou quem o critica. Mas o finlandês não pode esquecer que as duas vitórias nesta temporada só foi conquistada com o inglês “fora de combate”, por punições dos comissários, muito questionadas. Já o piloto da Ferrari Charles Leclerc, responsável por um prejuízo incalculável para o time e para o piloto canadense, foi “premiado” sem punição dos comissários com o sexto lugar na corrida.

Outro destaque na Rússia é que o recorde de largadas naquele circuito era do brasileiro Rubens Barrichello com 322, o qual foi igualado pelo finlandês Kimi Raikkonen, da Alfa Romeo. Veja o comentário de Rubinho abaixo. Se largar na próxima etapa na Alemanha, Kimi reinará sozinho neste quesito, apagando a única marca positiva que o brasileiro deixou na historia da Fórmula 1. A próxima etapa, a 11ª será disputada daqui a duas semanas, na Alemanha, na pista de Nurburgring, local próximo onde nasceu Michael Schumacher. Será que o destino quis que o recorde seja igualado em terras alemãs?

CONFIRA AS CLASSIFICAÇÕES NA CORRIDA E CAMPEONATO

CLASSIFICAÇÃO NA CORRIDA

  1. Valtteri Bottas, Mercedes
  2. Max Verstappen, RBR
  3. Lewis Hamilton, Mercedes
  4. Sergio Perez, Racing Point
  5. Daniel Ricciardo, Renault
  6. Charles Leclerc, Ferrari
  7. Esteban Ocon, Renault
  8. Daniil Kvyat, AlphaTauri
  9. Pierre Gasly, AlphaTauri
  10. Alexander Albon, RBR
  11. Antonio Giovinazzi, Alfa Romeo
  12. Kevin Magnussen, Haas
  13. Sebastian Vettel, Ferrari
  14. Kimi Raikkonen, Alfa Romeo
  15. Lando Norris, McLaren
  16. Nicholas Latifi, Williams
  17. Romain Grosjean, Haas
  18. George Russell, Williams
  19. Carlos Sainz Jr., McLaren
  20. Lance Stroll, Racing Point

CLASSIFICAÇÃO DE PILOTOS NO CAMPEONATO

  1. Lewis Hamilton, Mercedes, 205 pontos
  2. Valtteri Bottas, Mercedes, 161 pontos
  3. Max Verstappen, RBR, 128 pontos
  4. Lando Norris, McLaren, 65 pontos
  5. Alexander Albon, RBR, 64 pontos
  6. Daniel Ricciardo, Renault, 63 pontos
  7. Charles Leclerc, Ferrari, 57 pontos
  8. Lance Stroll, Racing Point, 57 pontos
  9. Sergio Perez, Racing Point, 56 pontos
  10. Pierre Gasly, AlphaTauri, 45 pontos
  11. Carlos Sainz Jr., McLaren, 41 pontos
  12. Esteban Ocon, Renault, 36 pontos
  13. Sebastian Vettel, Ferrari, 17 pontos
  14. Daniil Kvyat, AlphaTauri,14 pontos
  15. Nico Hulkenberg, 6 pontos
  16. Kimi Raikkonen, Alfa Romeo, 2 pontos
  17. Antonio Giovinazzi, Alfa Romeo, 2 pontos
  18. Kevin Magnussen, Haas, 1 ponto
  19. Nicholas Latifi, Williams, 0 ponto
  20. George Russell, Williams, 0 ponto
  21. Romain Grosjean, Haas, 0 ponto

CLASSIFICAÇÃO DE CONSTRUTORES NO CAMPEONATO

  1. Mercedes, 366 pontos
  2. RBR, 192 pontos
  3. Mclaren, 106 pontos
  4. Renault, 99 pontos
  5. Racing Point, 92 pontos
  6. Ferrari, 74 pontos
  7. AlphaTauri, 59 pontos
  8. Alfa Romeo, 4 pontos
  9. Haas, 1 ponto
  10. Williams, 0 ponto

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Close